Apresentando

Sou carioca, nasci em 1985 e comecei a fazer mágicas com 10 anos de idade. Aos 12 já era o mágico profissional mais jovem do Brasil, formado pelo CBI (Círculo Brasileiro de Ilusionismo). Nessa mesma época, comecei a me interessar pelo teatro, foi quando encontrei uma maneira de utilizar a mágica como um instrumento da atuação.

Com 16 anos, fui ao “Programa do Jô”. Isso me proporcionou maior reconhecimento, o que me aproximou muito do mercado corporativo. Percebi que o meu diferencial sempre foi o estilo em que apresentava minhas mágicas, com muito humor, de forma despojada, usando improviso e interatividade com a plateia.

Hoje, já tenho mais de 15 anos na arte de entreter, seja com humor, mágica, atuando ou tudo junto! Tenho experiência com os mais diferentes tipos de público e formatos de apresentações: stand upcomedy com mágicas, palestras envolvendo mágicas cômicas, mestre de cerimônias, shows personalizadas para promoção de produtos, entre outros.

Como ator e comediante, participei de várias campanhas publicitárias, com destaque para “Bradesco Celular”; “Inter Supermercados” e “Casas Bahia”. Participei de seriados como “Vai que Cola” e “Secretária do Presidente” (Multishow), integrei o elenco humorístico dos programas “Zorra Total” e “Domingão do Faustão”, além de ter Atuado na novela “Rock Story”, e protagonizado o quadro de humor “Câmera Kids” no Fantástico, todos da Rede Globo. Atualmente apresento o programa “Truque de Humor” do Multishow. No teatro, estou em cartaz há 7 anos com meu espetáculo solo de humor “Como é que pode?”. Nesses anos de carreira, participei de muitos programas de TV, como: “Programa do Jô”, “Caldeirão do Huck”, “Altas horas” e “Mais você”, onde venci o reality de culinária “SuperChefe celebridades”. Realizei também apresentações em eventos como, Circuito Cultural Bradesco Seguros e Festival de Inverno–SESCRJ.

O que mais tenho a dizer? Ah, claro… Sou um apaixonado pelo Samba e meu hobby é tocar cuíca em algumas rodas do Rio e portanto, nos esbarramos em alguma por aí.

Abraço a todos,
Gabriel Louchard

Leia Mais

Como é que pode?

Ganhador do prêmio FITA para melhor espetáculo de comédia.

Gabriel Louchard apresenta espetáculo que une stand up comedy, esquetes de humor, vídeos e números de mágica, sob direção de Leandro Hassum

Sucesso de público, “COMO É QUE PODE?” está completando sete anos em cartaz desde sua estréia no Rio de Janeiro. A peça brinca com diversas situações que nos deparamos todos os dias. Como é que pode o meu filho nascer japonês? Como é que pode este trânsito? Um misto de surpresa, curiosidade e fascinação brota dessa expressão popular que serve de inspiração para o espetáculo de Gabriel Louchard.

A peça, vencedora do prêmio FITA 2013 categoria melhor espetáculo de comédia pelo Júri Popular, e assistida por mais de 500 mil espectadores, mostra versatilidade de Gabriel, explorando as muitas facetas deste artista como ator, comediante e mágico. Durante o espetáculo, dirigido por Leandro Hassum e escrito em parceria com Mauricio Rizzo – roteirista de “A Grande Família” – Gabriel realiza esquetes brincando com as situações cômicas que mágicos enfrentam durante o trabalho em uma festa infantil, convoca a plateia para participar de truques e realiza números impressionantes de mágica, sempre aliados ao bom-humor de seu texto. Na abertura do show, ele mostra depoimentos de amigos como Patrícia Pillar, Bruno Gagliasso e Thiago Lacerda, que falam de forma cômica sobre “o maior artista do mundo”.

Um dos pontos altos do espetáculo é o número da guilhotina, que é bem real e ganha uma boa dose de improviso, pois é apresentado com um convidado da plateia. “A participação da plateia, ocorre de forma espontânea e natural, tornando o show muito mais quente e próximo do público”, explica Gabriel.

O encontro com Leandro Hassum

Minha história com o Gabriel começou quando ele foi assistir ao meu espetáculo Nós na Fita. No camarim ele fez algumas mágicas em close up para mim e para o Marcius Melhem. Sugerimos então ao Gabriel que ele fizesse uma participação na peça, mostrando à platéia o mesmo número que mostrou para nós no camarim. Ele topou na hora. E assim foi. No meio do show o chamamos, ele subiu e encantou a platéia não só pela mágica, mas também pelo seu carisma, talento, humor e, por que não dizer, sua beleza. A partir desse dia, virou e mexeu, o Gabriel aparecia na peça e fazia um truque novo. Assim, foi passando a fazer parte da turma.

Quando resolvi montar o Lente de Aumento, meu espetáculo solo, queria um show que contasse sempre com alguns convidados, com a participação do público e que tivesse sempre um número de abertura para aquecer a audiência antes da minha entrada. O primeiro nome que me veio foi justamente o do Gabriel. Além de ser um mágico moderno, ele é um ator muito talentoso e com excelente tempo cômico!

Foi muita petulância minha chamar o Gabriel para abrir meu show toda noite. Ele já tem uma carreira, faz inúmeros shows pelo Brasil há muito tempo. Mesmo com a agenda cheia, ele pintava lá no teatro sempre que possível para dar um toque especial ao Lente de Aumento. E foi num papo de coxia que nasceu a idéia de montar um stand-up dele, reunindo mágica e comédia. Ele adorou a proposta e perguntou se eu poderia dirigir. Achei que fosse ficar no papo furado de coxia. Mas o Gabriel é um cara muito ligado, correu atrás e hoje cá estou eu, diretor do espetáculo e falando do garoto que foi tirar uma onda no camarim comigo e agora tem seu próprio show. COMO É QUE PODE?

Leandro Hassum

destaque_como

“HÁ 7 ANOS EM CARTAZ”

“MAIS DE 500 MIL ESPECTADORES”

“PRÊMIO FITA, MELHOR ESPETÁCULO DE COMÉDIA”

Patrocinio

logo_bs

Ficha técnica

Autor Gabriel Louchard e Mauricio Rizzo | Direção Leandro Hassum | Mágico e ator Gabriel Louchard | Iluminação Wilson Reiz | Figurino Paulo Barbosa | Cenário Fernando Alexim | Assessoria de Imprensa Roberta Rangel | Trilha Sonora Marcelo H | Assistentes de palco Robson Junior, Daniel Chagas e Luiz Carlos Gomes | Produção Executiva Monique Franco e Gabriel Louchard | Direção de Produção Gustavo Rodrigues | Realização Procenium Produções Artísticas Ltda

Leia Mais ...

O que faço

Seguem alguns diferentes formatos das minhas apresentações, lembrando que poderão ser personalizados a partir do briefing sugerido pelo cliente. Posso focar nos produtos ou temas propostos, como: motivação, stress, capacidade de liderança, meio ambiente, etc.

STAND UP COMEDY COM MÁGICAS!

Durante esta apresentação, mesclo textos, com muito humor no estilo stand up comedy e números de mágicas. Destaco como pontos altos do espetáculo o stand up sobre mágico em festa infantil e o número da guilhotina, que é apresentado com um convidado da plateia. Na mágica do casaco, tenho o corpo amarrado por um espectador, e em cinco segundos consigo fazer coisas loucas, como me desamarrar, vestir um casaco ou paletó emprestado pela plateia e me amarrar novamente. Durante toda a apresentação, o público participa de algumas mágicas interagindo comigo, e a partir disso, vou improvisando de acordo com a reação de cada voluntário.

Equipe – assistente de palco e operador de áudio.
Duração – aproximadamente 50 minutos.

MESTRE DE CERIMÔNIAS

Um mestre de cerimônias bem diferente, durante esta apresentação, mesclo os textos do roteiro, com intervenções de números de humor no estilo stand up comedy e números de mágicas. Ao apresentar um MC original, mais dinâmico e divertido, o distanciamento com o público é quebrado imediatamente e a atenção da plateia é pega de forma rápida e natural. Muitas vezes, para as minhas atuações como MC, também elaboro todo o roteiro da apresentação.

COMO É QUE PODE?

Quem nunca disse “como é que pode?” Em diversas situações com as quais nos deparamos todos os dias? Como é que pode este trânsito louco? Como é que pode o meu filho nascer japonês? Um misto de surpresa, curiosidade e fascinação brota dessa expressão popular que serve de inspiração para o meu espetáculo.

Diferente da maioria dos shows de ilusionismo, em “Como é que pode?” vou costurando os números de mágica com textos de humor, recursos dramáticos e o uso de vídeos que tornam o espetáculo ainda mais ágil e divertido. Tudo isso dirigido pelo humorista Leandro Hassum. Os textos são meus e de Maurício Rizzo, redator de vários seriados de humor. Entre eles: “A Grande Família”, “Cilada” e “A Diarista”.

Nos últimos tempos, a mágica conquistou novos espaços e atingiu outros patamares, artistas como David Blaine, Chris Angel e outros já provaram que a mágica pode ser mais do que, simplesmente, realizar truques, pode se corresponder com outras formas artísticas, como a interpretação, dança, drama, música e humor. “Como é que pode?” vem contribuir com essa evolução da arte ilusionista. Procuro instigar a plateia com questões cotidianas e ao mesmo tempo inusitadas. Integrando ação teatral e números de ilusionismo, a figura do mágico ganha contornos mais humanos do que sobrenaturais e brinca com o público abordando os problemas do dia a dia que todos enfrentamos. Um mágico estressado, por exemplo, pode fazer alguém sumir e depois não conseguir trazer a pessoa de volta por falta de concentração. Nesse caso, seria obrigado a usar o SAM (Serviço de Atendimento ao Mágico) para ajudá-lo a resolver a situação.

“Como é que pode?” é um espetáculo de grande porte, conta com uma equipe de oito pessoas e requer uma estrutura profissional de som, luz e palco. Duração de sessenta minutos.

Leia Mais

Home